domingo, 3 de julho de 2011


Hoje, mais do que nunca sozinha.
É uma questão de tempo.
Mas ainda assim. Dói.

Nenhum comentário:

Postar um comentário